Primeiros passos > Organize-se

Aprenda a separar as despesas da empresa dos seus gastos pessoais

despesas da empresa

Salário dos funcionários, escola dos filhos, aluguel da sala comercial, financiamento do seu apartamento… tudo isso entra na mesma conta? Se sim, você está cometendo um erro grave. O empreendedor deve sempre separar despesas da empresa dos gastos pessoais para evitar prejuízos financeiros.

Se você mistura, chega uma hora em que fica impossível dizer se o negócio está se sustentando e dando lucro ou não. Todo o dinheiro que entra no caixa da empresa deve ter destino certo: pagar funcionários, fornecedores, contas do espaço físico e o seu salário.

Assim como os outros funcionários, você deve esperar a data certa para receber o seu salário, uma quantidade definida de acordo com o que a sua empresa pode pagar. Fazer retiradas para proveito próprio em qualquer data poderá trazer prejuízos à sua empresa. Já que o negócio é seu, as dívidas também serão suas.

Separar as despesas da empresa dos gastos pessoais pode parecer desafiador, principalmente para quem acabou de abrir seu próprio negócio. Mas há estratégias simples que ajudam a evitar confusão.

Despesas da empresa X despesas pessoais

1 – Calcule e respeite seu pró-labore

Pró-labore nada mais é do que o salário do dono da empresa. Muitos proprietários pensam que podem se dar ao luxo de não ter pagamento fixo, retirando o quanto quiserem a cada mês. Mas independente de suas necessidades pessoais, é preciso retirar um valor definido. Dessa forma, será possível calcular a receita da empresa e fazer planos de crescimento.

Para calcular o pró-labore, é preciso diminuir do valor faturado todas as contas da empresa, incluindo impostos. Também é preciso separar uma quantia para o capital de giro, uma reserva de dinheiro utilizada para suprir as necessidades financeiras do negócio ao longo do tempo, especialmente de investimento.

O valor restante é o seu pró-labore. Se tiver sócios, será preciso dividir a quantia com eles. Lembre-se de respeitar a proporção de investimento: se você investiu mais e tem 60% da empresa, enquanto ele tem apenas 40%, o pró-labore de cada um deverá ser calculado nessa proporção.

2 – Tenha contas correntes separadas

despesas da empresa

Foto: Istock/Getty Images

Empresários não são obrigados por lei a ter contas separadas. Mas o ideal é que tenha duas: uma pessoal e outra para o negócio. Manter seu dinheiro misturado com o da empresa certamente causa confusão. Você pode olhar o saldo e pensar que tem mais para proveito pessoal do que realmente tem.

Com contas correntes separadas, fica mais fácil ter uma boa organização financeira. Você poderá controlar melhor tanto a receita da empresa quanto seus gastos pessoais. Abra uma conta jurídica e evite usá-la para contas próprias. Cartão de crédito e cheques da companhia também não devem ser usados em seu proveito.

Abrir contas separadas tem outra vantagem: fica mais fácil comprovar seu faturamento e calcular o imposto de renda.

3 – Não tape buracos

Nunca leve suas contas pessoais para a empresa e vice-versa. Usar seu pró-labore para cobrir prejuízos corporativos é sinal de que seu negócio não vai bem. Ao invés de tapar o buraco, faça uma análise das entradas e dos gastos e entenda se sua empresa está gastando mais do que devia.

Usar o dinheiro da empresa para cobrir suas dívidas pessoais também é um erro. No futuro, isso poderá trazer prejuízos para o seu negócio e, consequentemente, para você. Se está com dificuldades para cuidar da sua vida financeira, leia este texto com dicas para organizar as finanças sem sofrimento e não ficar endividado.

4 – Peça ajuda

Pedir ajuda pode ser fundamental para manter a saúde financeira da sua empresa e do seu bolso. Seu contador pode te ajudar a tirar dúvidas importantes. Se pretende demitir um funcionário, por exemplo, pergunte qual o melhor momento para fazer isso, já que terá de pagar determinado valor caso  tenha carteira assinada (CLT).

O contador também poderá te orientar sobre o que fazer caso sua empresa esteja com problemas financeiros. Resolver problemas por conta própria, como vender o carro para salvar sua companhia, pode ser arriscado. Peça opiniões antes. Se não tiver um contador, procure aquele mentor ou amigo de confiança.

Se precisar de ajuda para organizar finanças pessoais ou fazer um diagnóstico financeiro da empresa, converse com um conhecido que entenda do assunto. Você poderá oferecer seus serviços em troca do apoio ou acertar um valor como pagamento.

  • Essa matéria foi útil?
  • 0 0
Assine nossa Newsletter
Deixe seu e-mail abaixo e fique por dentro de todas as novidades do Meu Negócio Brilhante assinando nossa newsletter
Ao enviar o seus dados, você concorda em receber e-mail de "Meu Negócio Brilhante". Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento clicando no link 'Cancelar inscrição' nos e-mails que receerá de nós.

Assine nossa Newsletter

Deixe seu e-mail abaixo e fique por dentro de todas as novidades do Meu Negócio Brilhante assinando nossa newsletter

Ao enviar o seus dados, você concorda em receber e-mail de "Meu Negócio Brilhante". Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento clicando no link 'Cancelar inscrição' nos e-mails que receberá de nós.