Primeiros passos > Organize-se

O que fazer com dinheiro rasgado?

homem entregando troco para uma pessoa

Apesar das facilidades que a tecnologia nos oferece, como cartões de débito, crédito e bancos digitais, o dinheiro físico, seja em notas ou em moedas, ainda movimenta uma grande parte da nossa economia.

Especialistas no assunto dizem que, em tempos de crise, o dinheiro físico é empoderador, ou seja, ele permite que as pessoas façam transações financeiras do jeito que acharem melhor, sem a intervenção de uma instituição bancária. Além disso, o Brasil já tem experiência em crises econômicas: em momentos delicados, os brasileiros começam a guardar mais dinheiro em casa para deixá-lo longe dos bancos.

Mas o que fazer quando uma nota está rasgada, danificada ou comprometida de alguma forma? O dinheiro físico passa por muitas mãos ao longo de sua vida útil, o que significa que, de uma forma ou de outra, vai acabar sendo danificado.

Quem tem comércio sofre um pouco mais,  já que o trânsito do dinheiro físico é maior, por isso vamos te explicar o que fazer quando o dinheiro rasgado entra no caixa ou no seu bolso.

Dinheiro rasgado tem valor?

O Banco Central (Bacen), órgão que controla o Sistema Financeiro Nacional, classifica as notas em duas categorias: com e sem valor. As notas inteiras, mas já gastas pelo uso, têm valor sim, mas são consideradas não utilizáveis. Ou seja, embora tenham valor para os bancos e possam ser utilizadas normalmente pelo público, as notas comprometidas precisam ser trocadas por novas. Assim que os bancos encaminham as notas para o Banco Central, o dinheiro rasgado é destruído para não voltar a circular.

A segunda categoria é a das cédulas dilaceradas, ou seja, que têm algum dano, podendo se apresentar inteiras ou em pedaços, normalmente colados. As cédulas que têm mais da metade do tamanho original em um único pedaço, as que estão riscadas, danificadas por fogo, comidas por traças ou produtos químicos estão nesta categoria.

Como trocar o dinheiro rasgado?

Segundo o Bacen, notas que ainda tenham mais da metade do tamanho original em um único pedaço podem ser substituídas, depositadas ou usadas para pagar contas em agências bancárias. O seu banco tem a obrigação de receber a nota rasgada e trocá-la por uma nova, apenas se ela tiver mais da metade de seu tamanho.

Mas fique atento: as pessoas — físicas ou jurídicas — não são obrigadas a receber notas rabiscadas, rasgadas, coladas ou faltando pedaços. Assim, quem tem dinheiro rasgado em mãos pode depositá-lo, trocá-lo ou utilizá-lo para pagamento em qualquer banco comercial, que o enviará ao Banco Central para ser destruído.

Quais notas não podem ser trocadas?

As cédulas consideradas sem valor são as que o Bacen chama de “mutiladas”: que não têm mais da metade do seu tamanho original.

Em relação às moedas, as que estiverem tortas, perfuradas, desfiguradas ou com qualquer outro tipo de dano, desde que inteiras e de que não haja dúvidas quanto ao seu valor, devem ser trocadas, depositadas ou utilizadas em pagamentos em agência de qualquer banco comercial.

Da mesma forma que as cédulas, as moedas não inteiras ou sobre as quais haja dúvidas quanto ao valor podem ser encaminhadas para exame no Banco Central, através da sua agência  ou de qualquer agência bancária.

  • Essa matéria foi útil?
  • 8 0