Primeiros passos > Organize-se

Entenda a crise (e o que ela pode significar para o seu negócio)

homem olhando gráfico em tablet

Crises econômicas vêm e vão, não só no Brasil, como em muitos outros países. Elas acontecem por uma série de fatores, que envolvem a queda do PIB (Produto Interno Bruto), a alta taxa de juros, a desvalorização da moeda local, a falta de consumo e a diminuição das exportações, entre outros. A mais severa crise dos últimos tempos estourou em 2008 nos Estados Unidos e foi simbolizada pela quebra do poderoso banco de investimentos Lehman Brothers.

A recessão, redução do índice de crescimento econômico em um ou vários países, que causa a queda de produção e traz o desemprego, foi muito bem explicada no vídeo abaixo do Nexo Jornal. Segundo ele, esta é a pior crise econômica de nossa história. Desde 1981, o Brasil já passou por 9 recessões, incluindo esta em que estamos, cuja previsão para começar a chegar ao fim é somente no final de 2017. Esta crise começou no segundo semestre de 2014 e veio depois de uma expansão econômica que durou cinco anos.

Leia mais:
5 ideias de negócio para começar em casa
Os melhores aplicativos para controle de finanças

Nos anos 80, as recessões foram fortes e longas. Já nos anos 2000, elas variaram entre fortes que duraram pouco tempo, e longas, mas fracas, que não desvalorizaram tanto o PIB. A recessão que estamos vivendo agora já dura 9 trimestres e fez o PIB cair quase 8%. Quanto mais o PIB cai e mais tempo dura a crise, mais difícil é para um país se recuperar e voltar à boa forma de antes.

Ideias para driblar a crise

Com o desemprego e custos reduzidos por grande parte das famílias, a chance de suas vendas caírem também é grande. Nesse momento, há de se colocar à prova a criatividade para tentar driblar a crise e, se não conseguir aumentar as suas vendas, ser capaz de, pelo menos, estabilizar o seu negócio.

Se, de acordo com a sua planilha de fluxo de caixa, o movimento tiver diminuído é hora de repensar suas estratégias. Promover liquidações e promoções, se você trabalha com o varejo, pode ser uma boa ideia para movimentar o caixa. Entrar em contato com os clientes “sumidos” e entender o motivo que fez com que eles não aparecessem mais pode trazer novas ideias de estratégias de marketing e vendas.

Conserto e reparos de roupas e calçados, revenda de carros usados e oficinas mecânicas são algumas das atividades que prosperam em tempos de crise. Isso porque quanto menos as pessoas gastam em novos utensílios e mercadorias, mais elas desejam arrumar o que já tem dentro de casa. Reparar uma blusa, uma calça e um par de sapatos, que estavam encostados, faz um cliente feliz com o visual e com o bolso. Afinal, sai muito mais em conta para quem está com o dinheiro contado arrumar o que já tem em casa do que comprar artigos novos.

Outra ideia do tipo é abrir uma loja de bicicletas. O meio de transporte alternativo, saudável e barato tem ganhado um número cada vez maior de adeptos, inclusive nas grandes cidades. Dentro dela, você também pode oferecer um serviço de conserto, que aumentará ainda mais as chances de movimento em sua loja.

  • Essa matéria foi útil?
  • 0 0