Primeiros passos > Derrube mitos

Como trabalhar com o marido quando você que é a dona do negócio

trabalhar com o marido

Por que você precisa ler este texto?

Quando o negócio é seu, trabalhar com o marido pode valer a pena. Mas é preciso tomar certos cuidados para evitar problemas conjugais ou que você perca o controle do que é seu.

Muitas mulheres empreendedoras buscam o apoio do parceiro em seus negócios. Trabalhar com o marido traz vantagens e pode fortalecer a empresa. No entanto, é preciso tomar alguns cuidados para evitar o desgaste da relação e problemas mais sérios.

Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora, conta que trabalhar com o marido é mais comum quando o negócio já foi alavancado e passou por várias fases. “É nesse momento que os parceiros costumam entrar no negócio. Geralmente, eles assumem a gestão e a parte financeira”, afirma.

Para muitas mulheres, o marido acaba sendo a primeira opção porque elas precisam de alguém de confiança. E, na medida que o negócio começa a dar mais lucro, o marido passa a não ver tanto sentido em continuar no mercado de trabalho da forma tradicional e acaba optando por ajudar a esposa na empresa familiar.

“[Trabalhar com o marido] acontece por uma combinação de fatores. Ter alguém de confiança, um marido que desacelera do mundo corporativo, dividir as tarefas de gestão”, diz Ana. “Quando estamos crescendo, passamos pela chamada ‘dor de crescimento’. Aparecem muitas questões para serem resolvidas e é sempre bom ter alguém para dividir tudo isso”, completa.

Vantagens e riscos de trabalhar com o marido

Gerir um negócio é complexo e a divisão de tarefas é muito bem-vinda. Mas para Ana, trabalhar com o marido na empresa que foi construída pela esposa é vantajoso quando há respeito pela gestão da mulher. Afinal, o negócio é dela: foi ela quem teve a ideia, deu os primeiros passos e trabalhou muito para chegar naquela posição.

No entanto, nem sempre é isso que acontece. Há companheiros que se apoderam da empresa e ignoram tudo que a esposa construiu, assumindo a gestão como um todo. Há, inclusive, o risco de a mulher ficar totalmente por fora das decisões financeiras e, em casos mais infelizes, levar um golpe do próprio marido.

Ana dá o exemplo de uma empreendedora conhecida cuja trajetória foi acompanhada pela Rede Mulher Empreendedora. Ela deixou todo o financeiro na mão do marido e fazia o acompanhamento de forma superficial. “Tomou um golpe de quase R$ 4 milhões do marido. Ele abriu contas pessoais para onde transferia parte do dinheiro da empresa, sem o conhecimento dela”, relembra.

Dicas para trabalhar com o marido

Seguindo o exemplo da empreendedora que foi enganada pelo parceiro, a primeira dica é sempre acompanhar os processos financeiros da empresa, mesmo que o marido seja o principal responsável. Isso significa se envolver na tomada de decisão e olhar com atenção para todos os fluxos de caixa e números.

Ana revela que é muito comum a mulher deixar o financeiro da própria empresa nas mãos do homem e não prestar mais atenção. Culturalmente, o sexo feminino não é estimulado a lidar com finanças e, por consequência, não se sente confortável em assumir a função. Mas como empreendedora, ela deve ter visão do negócio como um todo, inclusive das finanças.

A segunda dica é delegar as tarefas com estrutura e deixar claro o que está delegando. Por exemplo, o marido será responsável pela gestão de pessoas, mas todas as decisões devem passar pela dona do negócio. “Ela pode delegar e não se envolver no operacional, mas deve estar por dentro do estratégico e acompanhar a situação de perto. Deve determinar claramente esse papel”, ensina Ana.

A próxima dica é combinar bem as regras do jogo. Quando vamos trabalhar com alguém próximo, geralmente não deixamos claro qual será a função de cada um. “Isso é muito difícil no começo, mas é melhor definir a responsabilidade de cada um e deixar claro do que você não abre mão logo no início. A relação fica mais fácil”, defende.

Por fim, a dica de ouro é separar vida pessoal e profissional. Evite falar de trabalho em casa e discutir a relação na empresa. Lembre-se que antes de tudo vocês são um casal que se ama e, muitas vezes, tem filhos. Se a relação pessoal não for saudável, as chances de afetar o negócio serão grandes e dessa parceria acabar.

  • Essa matéria foi útil?
  • 0 0
Assine nossa Newsletter
Deixe seu e-mail abaixo e fique por dentro de todas as novidades do Meu Negócio Brilhante assinando nossa newsletter
Ao enviar o seus dados, você concorda em receber e-mail de "Meu Negócio Brilhante". Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento clicando no link 'Cancelar inscrição' nos e-mails que receerá de nós.

Assine nossa Newsletter

Deixe seu e-mail abaixo e fique por dentro de todas as novidades do Meu Negócio Brilhante assinando nossa newsletter

Ao enviar o seus dados, você concorda em receber e-mail de "Meu Negócio Brilhante". Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento clicando no link 'Cancelar inscrição' nos e-mails que receberá de nós.