Primeiros passos > Derrube mitos

Vender online e outras dicas para distribuir seu produto sem espaço físico

vender online

Falta de dinheiro para abrir uma loja física não é empecilho para se tornar empreendedor. Há várias formas de distribuir seu produto sem alugar um espaço e arcar com vários custos. Vender online, em feiras, de porta a porta, usar distribuidores e varejistas são algumas das possibilidades.

Investir em um espaço físico pode ser uma manobra arriscada para empreendedores que estão começando e têm pouca grana. Se você não tem dinheiro guardado para comprar um imóvel, pense bem antes de assumir um aluguel e várias outras despesas, como energia, telefone e mobília. Distribuir seu produto de formas alternativas pode te ajudar a dar o primeiro passo.

Se você já é empreendedor e vende suas mercadorias em um espaço físico próprio, não se desespere caso o negócio não esteja se sustentando. Você pode manter seu sonho vivo: basta ser criativo e encontrar novos canais para distribuir seu produto.

Vender online: você já pensou nisso?

Bendita seja a internet. Hoje, mais pessoas estão fazendo compras online pela comodidade que isso traz: não é preciso sair de casa, enfrentar filas ou muvucas em shoppings e galerias. Basta entrar na loja virtual, clicar no produto desejado e fazer o pagamento pela internet mesmo, no cartão ou mesmo com boleto eletrônico.

A empreendedora pode – e deve – surfar essa onda. É possível criar uma loja virtual em plataformas gratuitas ou pagas. Geralmente, as pagas oferecem suporte de qualidade e permitem customização, como colocar o logo da sua marca, escolher as fontes e cores. São boas opções para quem não sabe muito bem como mexer em sites.

Outra opção é criar loja virtual em sites famosos de venda, como o Mercado Livre. Esse tipo de plataforma já tem muitos acessos e pode trazer mais compradores para o seu negócio.

Como distribuir seu produto

Vender em feiras e bazares especializados

Feiras e bazares especializados são ideais para vender bastante de uma vez só, pois todo o seu público estará concentrado ali. Portanto, é fundamental fazer uma boa pesquisa para entender quem é seu alvo e quais tipos de eventos frequenta.

Artesanato, roupas, alimentos, produtos naturais e objetos de nicho são boas opções para vender em feiras. Por exemplo, há eventos que concentram produtos e cosméticos para negras, como a Feira Preta.

Converse com a organização da feira e veja qual o processo para colocar uma banca e vender seus produtos. Também fique de olho em eventos esporádicos que ocorrem em sua cidade ou na sua redondeza. Festivais de música, festivais literários e palestras costumam abrir espaço para a participação de produtores locais.

Porta a porta

A boa e velha venda porta a porta ainda é muito praticada hoje – e pode ser uma opção para você. Revendedores de Natura e Avon apresentam seus catálogos e amostras na casa das clientes.

vender online

Foto: Istock/Getty Images

Você também pode usar o porta a porta para vender outros tipos de produtos, como roupas, livros e alimentos. Pelo WhatsApp ou Facebook, envie mensagens para todos os seus contatos avisando que tem mercadorias disponíveis para venda e combine de ir até a casa deles para mostrar as peças. Essa modalidade é boa pois traz comodidade ao cliente, que não precisa sair de casa e nem comprar online. Pela internet não é possível experimentar ou ver o produto em mãos — portanto o porta a porta leva vantagem nesse ponto.

Na sua vizinhança, também é possível simplesmente bater de porta em porta vendendo roupas, alimentos e outras mercadorias que possam ser transportadas facilmente.

Distribuidores

Os distribuidores armazenam, vendem e, em certos casos, prestam assistência técnica em determinada região. Você produz vinhos ou cervejas, por exemplo, mas não deseja abrir um espaço físico. Encontre um distribuidor perto de você e repasse o produto para ser revendido por ele.

Varejistas

Supermercados, lojas de conveniência, padarias, restaurantes, farmácias e lojas podem revender o seu produto. Se você faz docinhos, pergunte quais estabelecimentos podem revendê-los no caixa. Se fabrica kits de unha, converse com farmacêuticos. Agendas customizadas? Distribua em papelarias.

No caso de roupas, uma boa ideia é revender o seu produto em lojas coletivas ou multimarcas — espaços físicos que reúnem peças de diversos estilistas e costureiros. Cada marca tem um espaço reservado.

  • Essa matéria foi útil?
  • 0 0
Assine nossa Newsletter
Deixe seu e-mail abaixo e fique por dentro de todas as novidades do Meu Negócio Brilhante assinando nossa newsletter
Ao enviar o seus dados, você concorda em receber e-mail de "Meu Negócio Brilhante". Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento clicando no link 'Cancelar inscrição' nos e-mails que receerá de nós.

Assine nossa Newsletter

Deixe seu e-mail abaixo e fique por dentro de todas as novidades do Meu Negócio Brilhante assinando nossa newsletter

Ao enviar o seus dados, você concorda em receber e-mail de "Meu Negócio Brilhante". Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento clicando no link 'Cancelar inscrição' nos e-mails que receberá de nós.