Inspire-se > Negócios brilhantes

Conheça Ana Fontes, criadora da Rede Mulher Empreendedora

Ana Fontes, rede mulher empreendedora

Aos 4 anos, Ana Fontes veio de uma cidade chamada Igreja Nova, Alagoas, com sua mãe e outros 5 irmãos de ônibus até São Paulo. Seu pai tinha viajado alguns dias antes com dois dos irmãos mais velhos. Instalaram-se em Diadema, Grande São Paulo, onde ela cresceu e viu que a vida seria um desafio e tanto. Mas nem por isso se abalou: Ana trabalhou registrada desde os 14 anos e fez de tudo um pouco, de babá à linha de produção de uma fábrica de brinquedos infláveis. Sempre gostou de estudar e cursou apenas escolas públicas.

Vendeu doces para conseguir pagar a faculdade de Publicidade na Anhembi Morumbi e, ainda assim, ficou devendo um ano de mensalidades quando se formou. A faculdade fazia questão de colocar os nomes dos inadimplentes num quadro no pátio para que todos vissem e o constrangimento fosse ainda maior. “Naquela época, não existia Código de Defesa do Consumidor e eles faziam o que bem entendiam”, relembra. “Mas nunca tive vergonha. Sabia que meus esforços dariam em algum bom lugar”, conta.

Ana Fontes acreditou em um mundo melhor que não fosse corporativo

Ana Fontes conseguiu, ainda na época da faculdade um estágio na Autolatina, nome da fusão entre a Ford e a Volkswagen nos mercados brasileiro e argentino entre 1987 e 1996. Sua estadia na área de marketing, que começou com o estágio, se estendeu por 17 anos. No total, foram 28 anos trabalhando no mundo corporativo.

Em dezembro de 2007, Ana Fontes pediu demissão. “Já tinha a minha primeira filha e não estava muito feliz com aquele ambiente corporativo, comumente tão hostil, principalmente para mulheres que têm filhos pequenos”, diz. “Não me sentia mais presente naquele mundo”, conta. Precisou ficar oito meses em casa, numa espécie de “detox” do mundo corporativo, para pensar sobre quais seriam seus próximos passos.

Várias ideias de negócio começaram a pipocar na cabeça de Ana Fontes. A primeira que ela resolveu colocar em ação foi a “Elogie Aqui”, um site de elogios na internet que seria o oposto do “Reclame Aqui”. Ela e mais dois amigos montaram um plano de negócios de uma maneira bem intuitiva.

Naquela época, não se falava de empreendedorismo como se fala hoje. Fomos fazendo com a cara e com a coragem e cometemos um monte de erros.

“O mundo corporativo te ‘desprepara’ para ter um negócio, pois ele oferece várias ‘casinhas’ e você se sente protegido por elas. O empreendedorismo é selva, não tem ninguém que te ensine o que é RH, não vai ter departamento jurídico para te proteger. Não adianta ter sido executivo em uma multinacional: no empreendedorismo, você precisa começar do zero”, completa. Foi a partir daí que Ana Fontes começou a desenhar o que seria a Rede Mulher Empreendedora.

A Rede Mulher Empreendedora criada por Ana Fontes

A Rede Mulher Empreendedora nasceu há 11 anos com o objetivo de se tornar a maior rede de apoio entre mulheres que acreditam no empreendedorismo como ferramenta de transformação de suas vidas e de toda uma sociedade. A Rede teve início quando Ana ainda tinha que se dividir entre seus afazeres e tocava a ideia do negócio social à noite. Amigas empreendedoras doavam parte de seu tempo para escrever a respeito de suas experiências no empreendedorismo.

“Empreender é muito solitário e, para as mulheres, ainda mais. Nós acabamos assumindo todos os outros papéis e complicamos um pouco mais a nossa vida. Se não tivermos o apoio e a colaboração de outras empreendedoras, fica bem difícil empreender”, afirma Ana Fontes.

Dentro da Rede Mulher Empreendedora existem hoje mais de 300 mil colaboradoras de todo o país. Ana Fontes promove cerca de 40 eventos por ano para colocar grande parte delas em contato. Quem participa da Rede trabalha de forma voluntária e gratuita, mas pode oferecer e contratar serviços de todas as ordens dentro dela.

“Não adianta só inspirar, a gente precisa criar mercado para essas mulheres poderem trabalhar”, diz. Mesmo quem não faz parte da Rede pode se cadastrar no site e solicitar algum serviço ou comprar algum produto dessas mulheres.

Dicas de Ana Fontes para quem quer empreender

A empreendedora Ana Fontes, que hoje tem 50 anos, já está aposentada, mas nem pensa em parar de trabalhar (“temos muito a fazer ainda!”), deu quatro dicas para quem deseja empreender:

  1. Ter foco. As mulheres costumam ser multitarefas e querem dar conta de várias coisas ao mesmo tempo. Para terem o próprio negócio precisam saber dar prioridade e focar naquilo que realmente desejam alcançar;
  2. Ser resiliente. Se algo não deu certo, é preciso entender rapidamente o que deu errado e continuar seguindo em frente, sem desânimo. O mais importante é ajustar a rota e seguir no caminho que você acredita;
  3. Buscar conhecimento. Pesquisar e estudar sobre o seu negócio é algo essencial. Afinal, destaca-se no mercado aquele que está antenado com o que acontece em sua volta;
  4. Peça ajuda. Você vai precisar do apoio de outras pessoas, principalmente as mais experientes. Não tenha vergonha de pedir ajuda de alguém que você confie.
  • Essa matéria foi útil?
  • 0 0
Assine nossa Newsletter
Deixe seu e-mail abaixo e fique por dentro de todas as novidades do Meu Negócio Brilhante assinando nossa newsletter
Ao enviar o seus dados, você concorda em receber e-mail de "Meu Negócio Brilhante". Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento clicando no link 'Cancelar inscrição' nos e-mails que receerá de nós.

Assine nossa Newsletter

Deixe seu e-mail abaixo e fique por dentro de todas as novidades do Meu Negócio Brilhante assinando nossa newsletter

Ao enviar o seus dados, você concorda em receber e-mail de "Meu Negócio Brilhante". Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento clicando no link 'Cancelar inscrição' nos e-mails que receberá de nós.