Inspire-se > A sua história

Geralda Madeira Amaral nunca desistiu do artesanato e hoje ele é seu sustento

Geralda Madeira Amaral

Olá, sou Geralda Madeira Amaral, tenho 39 anos e sou de Nova Lima, Minas Gerais. Terra do ouro e de montanhas maravilhosas! Sou casada e tenho uma filha linda, a Alanis.

Comecei a fazer artesanato em 1997, quando me formei no segundo grau. Na época, tive que parar de estudar porque não tinha recursos financeiros para continuar. Comecei a trabalhar como babá e foi minha patroa quem me ensinou a fazer crochê. Me apaixonei por isso! Logo já fazia bordados maravilhosos e comecei a vender meus trabalhos, só para encomendas mesmo. Descobri assim que tinha muita habilidade para atividades manuais.

Um tempo depois, em 2004, eu havia mudado de emprego, trabalhava em uma empresa aqui em Nova Lima, já estava casada e tinha tido a Alanis, seguindo o curso natural da vida. Foi quando as coisas se complicaram um pouco, porque sofri uma grande perda com a morte da minha mãe. Isso mudou meu mundo e impactou muito muito o meu trabalho, minha família e mesmo a minha produção de artesanato. Eu precisava recomeçar.

Geralda Madeira Amaral

Geralda Madeira Amaral Foto: Reprodução/Facebook

Decidi deixar o trabalho para ficar mais perto da minha filha, e pude organizar o tempo para voltar a fazer os meus trabalhos artesanais. Foi quando descobri a cartonagem, minha verdadeira paixão! Me joguei de cabeça na produção das peças e até hoje muitas vezes viro a madrugada trabalhando. Mas só consegui fazer isso porque junto comigo, por trás desse trabalho todo, está a minha irmã Elaine, guerreira, conselheira, amiga, sempre presente aqui me ajudando nesse cotidiano que é uma correria só.

Há cinco anos abri uma loja virtual pelo Elo 7 e tenho visto minha produção de peças crescer! Vendo muito pela internet e faço trabalho sob encomenda também para as pessoas que me conhecem e me procuram aqui em Nova Lima. Toda a minha renda vem da venda do meu artesanato e eu sinto muito orgulho disso!

Sei que já cresci e evoluí bastante, mas ainda tenho alguma frustrações. Como quando alguma cliente me procura querendo conhecer meu ateliê e não consigo recebê-la, porque desde sempre trabalho na bancada da minha cozinha e não posso receber a pessoa em uma loja ou mesmo oficina preparada para isso. Mas tudo tem seu tempo e eu tenho fé que chegarei lá!

Ainda tenho muito trabalho pela frente, acabei de criar o meu site, preciso fazer o meu marketing, mas eu chego lá! Como todo ser humano, tem dias que me bate aquela vontade louca de largar tudo e, sei lá, buscar um caminho diferente, porque para ter um negócio próprio é preciso trabalhar duas, três vezes mais. Mas essa vontade de largar tudo passa, e passa rápido. Quando recebo uma avaliação das pessoas no site ou vejo a reação de alguma cliente aqui em Nova Lima ou no whatsapp, minhas energias se renovam e volto a ter certeza de que é isso o que quero fazer. Encontrei meu caminho, amo muito o que faço e coloco muito amor em cada peça que produzo para o Ateliê da Gê.

E no final do dia, é isso o que importa.

*Em depoimento a Marina Malta.

  • Essa matéria foi útil?
  • 0 0
Assine nossa Newsletter
Deixe seu e-mail abaixo e fique por dentro de todas as novidades do Meu Negócio Brilhante assinando nossa newsletter
Ao enviar o seus dados, você concorda em receber e-mail de "Meu Negócio Brilhante". Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento clicando no link 'Cancelar inscrição' nos e-mails que receerá de nós.

Assine nossa Newsletter

Deixe seu e-mail abaixo e fique por dentro de todas as novidades do Meu Negócio Brilhante assinando nossa newsletter

Ao enviar o seus dados, você concorda em receber e-mail de "Meu Negócio Brilhante". Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento clicando no link 'Cancelar inscrição' nos e-mails que receberá de nós.